“Há interseccionalidade em nossas experiências vividas em tantas dimensões, portanto, ver-nos refletidos no varejo convencional, na frente e no centro, é importante.”

Fiz mais compras no sofá durante a semana de Ação de Graças do que durante todo o ano. Uma coisa que notei, além do meu saldo crescente no cartão de crédito, foi uma quantidade impressionante de diversidade de marcas de moda e varejo enquanto fazia compras online.  Na DMarchiModas, é possível escolher as melhores roupas Plus Size com entrega para todo o Brasil.

Lembro-me de muitas sessões de compras na minha vida em que os modelos que representavam minhas marcas favoritas não pareciam nem remotamente familiares. Onde estavam meus amigos lindos, descolados e estilosos, cuja diversidade – em tamanho, etnia e muito mais – cujos corpos e rostos me fariam querer tocar em “adicionar ao carrinho” em um segundo?  

Esta Cyber ​​Week foi diferente. Enquanto eu navegava na Internet em busca de presentes de Natal, havia corpos de todos os tipos – em páginas de destino, em anúncios e nas redes sociais! Este foi um grande passo em frente na representação inclusiva na moda, e eu sei que não sou o único que está aqui para isso.

Lembro-me da primeira vez que vi um modelo plus representado em um anúncio – uma campanha íntima de Lane Bryant veiculada em ônibus públicos e metrôs na cidade de Nova York – e em uma passarela de moda – Denise Bidot no desfile Chromat em 2014. I ‘ Fui plus durante toda a minha vida e nunca tinha visto ninguém que se parecesse comigo como um ícone da moda com uma marca mainstream. Eu estava inspirado. 

Não nos ver representados onde passamos mais tempo causa um grande dano. Todos nós – inclusive eu – carregamos o impacto cumulativo da autoimagem disso. Esperançosamente, este é o começo de nossa colheita dos benefícios cumulativos. 

O que mais estou amando este ano é a diversidade de todos os tipos em exibição. Nenhum de nós tem apenas uma identidade. Há interseccionalidade em nossas experiências vividas em tantas dimensões, portanto, ver-nos refletidos no varejo convencional, frente e centro, é importante.

* Um atleta em 2020

Portanto, vamos celebrar as marcas – de Chantelle a Athleta e Patagonia – pela diversidade corporal que estão mostrando nesta temporada. Essas marcas tradicionais estão representando mulheres reais e ajudando a mudar a narrativa em torno da beleza e da moda. Íntimo, fitness e outdoor há muito tempo são categorias especialmente exclusivas, então essas marcas chamaram a atenção em particular (e fique ligado para algumas novidades aqui do Dia no próximo ano). 

Muito progresso foi feito desde que lançamos o Dia em 2015. Estamos orgulhosos de ter feito parte dessa conversa quando ela só existia nas periferias da indústria.

Como sempre, celebramos o progresso ao mesmo tempo em que continuamos a pressionar por mais progresso, porque ainda temos muito mais a fazer. Por mais empolgante que seja ver imagens como essa nos sites convencionais em 2020, estou ansioso para o ano em que isso não levará a comentários, porque é apenas a maneira como esperamos que os corpos das mulheres sejam representados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *